• 23 de janeiro de 2022
  • Nova Roma do Sul

Calor, praia e água viva: Bombeiros registram quase 400 casos de queimaduras por águas-vivas no RS

 

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) do Rio Grande do Sul já registrou 392 lesões promovidas por águas-vivas em banhistas.

Nas guaritas dos guarda-vidas, a bandeira roxa sinaliza área com alta incidência dos animais, também conhecidos como mães d’água, explica o tenente Jairo Machado de Oliveira, do CBM.

“O guarda-vidas vai ter vinagre para utilização nesse tipo de lesão e também vai poder sinalizar com a bandeira roxa. É importante que todo o banhista saiba que essa bandeira sinaliza a incidência de mãe d’água naquela região ali”, diz.

O filho da funcionária pública Suelen da Cunha foi um dos surpreendidos. Luís, de cinco anos, foi atendido pelos bombeiros na beira da praia do Cassino.

“Eu vi no bracinho dele, tinha os vergões e três pontinhos pretos, que é tipo um ferrão que ela deixa. A gente foi correndo no salva-vidas, ele já passou vinagre e nos mandou ir na urgência”, conta.

 

Lesões por águas-vivas no RS

Praia Casos
Cassino 155
Xangri-Lá 58
Tramandaí 53
Nova Tramandaí 25
Capão da Canoa 20
Imbé Sul 19
Arroio do Sal 17
Capão Novo 12
Imbé Norte 10
Quintão 8
Cidreira 6
São José do Norte 6
Tavares 2
Hermenegildo 1
Pinhal 0

Confira as recomendações em caso de queimadura

  • Sair da água imediatamente
  • Lavar o ferimento, sem esfregar, com água salgada
  • Remover, com cuidado, os tentáculos que podem ter aderido à pele
  • Fazer compressas de vinagre por cerca de 30 segundos para aliviar a dor causada pelas toxinas

Facebook Comentarios

Artigos relacionados