O presidente da empresa DTA – Engenharia Portuária & Ambiental, o engenheiro civil João Acácio Gomes de Oliveira Neto, responsável pelo licenciamento do Porto Meridional, apresentou o projeto na manhã da quarta-feira, 24/11, aos prefeitos da Associação dos Municípios do Litoral Norte – AMLINORTE, autoridades políticas do município e do estado, além a imprensa da região metropolitana de Porto Alegre e da região, em evento em Arroio do Sal.

A recepção dos convidados foi conduzida pelo prefeito Affonso Flávio Angst (Bolão), com palavras de agradecimento pelo apoio recebido pela sua recuperação, após acidente recente. O prefeito Bolão destacou a importância da presença da grande maioria dos prefeitos do Litoral Norte, e ressaltou o quanto Arroio do Sal tem se preparado para a chegada do empreendimento, afirmando que não é só Arroio do Sal que vai crescer, mas toda a região terá seu desenvolvimento acelerado.

No evento, João Acácio informou que o projeto Porto Meridional já conta com as licenças da Marinha do Brasil, da Secretaria Nacional de Porto e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários, aguardando tão somente a licença do IBAMA para a instalação no município, entre os balneários Rondinha e Jardim Olívia Norte.

O empreendimento contará com um terminal de uso privado e tem previsão de liberação da licença do IBAMA e início das obras até o final de 2022. A construção e início de operação pode se dar entre 18 e 20 meses após a liberação da licença faltante, podendo ser inaugurado no segundo semestre de 2024.

O senador Luiz Carlos Heinze, que apoia a iniciativa, falou dos ganhos econômicos para o Rio Grande do Sul em ter mais um terminal marítimo além do de Rio Grande, pois muitas vezes o Estado perde cargas para portos de Santa Catarina, Paraná e até Santos-SP. Ele explicou que recebeu essa demanda em 2018, quando começaram os estudos para a viabilidade da obra.

O empreendimento, segundo o empresário, deve alcançar investimentos próximos de R$ 5 bilhões, planejado para atender às demandas da região Norte do Estado, podendo criar cerca de 3 mil empregos diretos e outros 10 mil indiretos.

Em escala de produção, a capacidade prevista é de movimentar anualmente 30 milhões de toneladas/ano, podendo aportar grandes embarcações, além de navios de carga e cruzeiros. João Acácio ressaltou ainda que devido a rentabilidade do projeto foi acrescentado um terminal de passageiro para aproveitar o potencial turístico.

Na ocasião, acompanhou a apresentação o prefeito de Arroio do Sal, Affonso Flávio Angst (Bolão), o vice-prefeito, José Diogo Martins Pereira (Zéca), o presidente da Câmara Municipal de Arroio do Sal, Giovani dos Reis, o senador Luiz Carlos Heinze, representando a Famurs, Salmo Dias de Oliveira, o presidente da Amlinorte, Flori Werb, prefeito de Itati, o ex-deputado federal e engenheiro Fernando Carrion, o deputado estadual Issur Koch (Progressistas), entre outras autoridades políticas e empresários do estado e da região.

Além da apresentação em Arroio do Sal, a DTA – Engenharia Portuária & Ambiental tem realizado encontros com muitos setores econômicos e políticos do RS. O projeto para a construção do Porto Meridional em Arroio do Sal também foi apresentado na Reunião das Diretorias da FIERGS e do CIERGS, na última terça-feira, 23/11.

De acordo com o vice-prefeito de Arroio do Sal, José Diogo Martins (Zéca), que participou do evento, ficou claro aos presentes na FIERGS que o Porto Meridional é uma grande oportunidade ao empresário gaúcho, pois muitas vezes encontra dificuldades por problemas de logística.

Na oportunidade, João Acácio observou que existe espaço para a construção de mais um porto no Estado, pois o PIB do Rio Grande do Sul é 50% maior do que o de Santa Catarina, e a costa, 10% maior. Só que Santa Catarina tem seis portos ativos e mais três em implantação. Além disso, segundo o empresário, o RS perde cerca de 12 milhões de toneladas de carga por ano que migram para outros terminais do País.