• 28 de janeiro de 2022
  • Nova Roma do Sul

Fiéis participam de procissão pedindo chuva no interior de Caxias do Sul

Cerca de 300 pessoas participaram da procissão realizada na noite desta quarta-feira (29), em Santa Lúcia do Piaí, pedindo chuva para a região. Além dos fiéis que fizeram a pé o percurso, cerca de 50 veículos também acompanharam o trajeto desde a comunidade levou a imagem da Santa de Nossa Senhora do Rosário, da capela da Linha Paese, até a Igreja Matriz do distrito.

Como de costume nas épocas de seca e com o intuito de recorrer a fé para que a chuva caia, a comunidade levou a imagem da Santa de Nossa Senhora do Rosário, que estava na capela da Linha Paese, até a Igreja Matriz do distrito.
Os devotos da santa saíram da Linha Paese por volta das 20h, e percorreram 5 quilômetros em pouco mais de uma hora, até a Igreja Matriz, local onde foi realizado uma pequena missa.

Depois que a chuva cair, a imagem da Santa será levada de volta até a Linha Paese, retornando ao ambiente a qual pertence. De acordo com o Padre Miro, no ano de 2012 houve uma procissão que saiu de uma igreja com seca e, ao chegar na outra, a chuva começou a cair.

Reposta
Diante das manifestações de comunidades do interior, a Prefeitura de Caxias do Sul acionou um grupo de secretários para avaliar, monitorar e apresentar medidas de combate à estiagem, que já está causando prejuízos aos cultivos agrícolas e dificultando o armazenamento de água para consumo humano e para os animais.

Visando ter um retrato fiel das dificuldades, o prefeito Adiló Didomenico, que retorna ao comando do Executivo na manhã de segunda-feira (03), conduzirá reunião à tarde com esse grupo de secretários e subprefeitos para a definição das medidas de auxílio aos agricultores. Dentre elas, a possível decretação do estado de emergência, seguindo o que já fizeram mais de 70 municípios gaúchos.

De acordo com o secretário da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Rudimar Menegotto, este é o terceiro ano seguido de estiagem, o que torna a situação ainda mais difícil. Também é preocupante a situação de a falta de chuvas ocorrer ainda no final do ano, o que tem levado produtores a antecipar a colheita de algumas variedades, que estão definhando em função do excesso de calor. Já a uva, em fase de amadurecimento, também começa a sofrer com o amarelamento das folhas. “Percebe-se claramente o problema nas feiras e na Ceasa, com forte redução de oferta de hortifrutigranjeiros”, reforçou.

Menegotto também salienta que algumas propriedades deverão ter falta de água para consumo animal nos próximos dias, pois os açudes estão secando. Afirma que, mesmo com a chuva prevista para a primeira semana de janeiro, ela será insuficiente para aumentar a vazão nas nascentes.

Facebook Comentarios

Artigos relacionados